História

Franklin Templeton Investments, outrora reconhecida como uma das melhores pequenas empresas dos Estados Unidos, passou a ser uma organização de gestão de investimento global de primeira linha. Oferecemos aos clientes uma perspectiva valiosa firmada com nossas seis décadas de experiência, capacidade de investimento e crescente alcance global.

Rupert H. Johnson

A empresa foi fundada em 1947, em Nova York, por Rupert H. Johnson, que administrava uma bem-sucedida corretora de varejo, ocupando um escritório em Wall Street. Johnson batizou sua empresa em homenagem a um dos fundadores dos EUA, Benjamin Franklin, por conta do seu legado de ideias de parcimônia e prudência em investimentos. A primeira linha de fundos mútuos, Franklin Custodian Funds, era composta por uma série de fundos conservadores de ações e renda fixa.

Charles B. Johnson

Ao aposentar-se, Rupert H. Johnson foi sucedido por seu filho, Charles B. Johnson (Charlie), que passou a ocupar a posição de presidente e executivo chefe em 1957, então com 24 anos. Na ocasião, eram poucos os empregados e os ativos geridos pelos fundos totalizavam US$ 2,5 milhões. As empresas seguradoras dominavam os mercados de investimento para a classe média, mas Charlie estava convencido de que tinha um grande futuro pela frente.

Bull and bear markets

No início da década de 1960, a persistência de Charlie e da sua equipe já davam resultados e a companhia crescia, ainda que lentamente. Era uma batalha ter de lidar com as demandas diárias do negócio e Charlie continuou a representar muitos papéis — de gestor de fundos a contador. Rupert Johnson Filho, irmão de Charlie, juntou-se à empresa em 1965 e também assumiu múltiplas tarefas. Década de ciclos extremos de desenvolvimento e recessão, os anos 1960 foram muito relevantes para o crescimento da organização.

Franklin Resources Common Stock Certificate

A Franklin abriu seu capital em 1971, captando recursos que permitiram a Charlie e sua equipe aumentarem o negócio e posicioná-lo para o futuro. Em 1973, a empresa comprou a Winfield & Company, firma de investimento sediada em San Mateo, e transferiu seus escritórios de Nova York para a Califórnia. Após a consolidação das empresas, o total de ativos sob gestão atingiu aproximadamente US$ 250 milhões, empregando cerca de 60 funcionários e lançando as bases para a grande evolução dos ativos na década de 1980.

New York Stock Exchange

A partir de 1980, o total de ativos geridos praticamente dobrou nos seis anos que se seguiram. As ações da empresa passaram a ser negociadas na Bolsa de valores de Nova York em 1986 com o símbolo "BEN" (BENjamin Franklin). No mesmo ano, a empresa abriu seu primeiro escritório fora dos EUA, em Taiwan. Em 1988, a Franklin adquiriu a L.F. Rothschild Fund Management Company. Os ativos administrados pela Franklin cresceram de pouco mais de US$ 2 bilhões, em 1982, para um valor superior a US $ 40 bilhões em 1989 (a queda da Bolsa em 1987 teve pouco impacto sobre os fundos da companhia). Não acostumados a se acomodarem com sucessos anteriores, os gestores ficaram preocupados com a grande ênfase que a Franklin havia posto em investimentos de renda fixa e começaram a procurar alternativas de diversificação. O grupo passou a investir em ativos brasileiros nessa década, por meio de fundos internacionais.

Dr Mark Mobius and Sir John Templeton

As aquisições estratégicas nos anos 1990 ajudaram a Franklin a diversificar sua capacidade na gestão de investimentos além da renda fixa e também a expandir sua presença global em toda a Europa e a Ásia. Em 1992, foi concluída a negociação com um conhecido investidor global, Sir John Templeton, que culminou com a aquisição da Templeton, Galbraith & Hansberger Ltd., sendo esta reconhecida como a maior fusão de uma empresa independente de fundos mútuos da história. A Templeton incorporou ao grupo uma grande carteira internacional de fundos de ações, assim como a experiência de mercados emergentes do “guru” Dr. Mark Mobius. Posteriormente, em 1996, num esforço de aumentar seu leque de produtos domésticos de ações, a Franklin Templeton adquiriu a Heine Securities Corporation, consultoria de investimento do Mutual Series Fund. Inc., do ícone de Wall Street, Michael Price. Ainda nos anos 1990, a empresa iniciou operações em diversos países nos quais vislumbrou potencial para desenvolvimento de uma estrutura local, como Índia, Coréia e Brasil, inicialmente por meio de associações com grupos locais.

Gregory E. Johnson

Inúmeras outras aquisições relevantes consolidaram a posição da empresa como uma organização de investimento global de primeira linha: Bissett, em 2000; Fiduciary Trust, em 2001; e Darby, em 2003. Em 2005, Gregory E. Johnson (Greg), filho de Charlie, tornou-se executivo-chefe, assumindo completa responsabilidade pela liderança da Franklin Templeton Investments. Greg cresceu dentro da organização, tendo começado a trabalhar como operador de mesa aos 24 anos, em 1985. Em 2013, Charlie Johnson se aposentou como chairman e Greg Johnson assumiu como chairman, CEO e presidente da companhia.

Em 2006, foi adquirida a participação do sócio brasileiro com quem havia sido criada uma joint venture no Brasil, em 1998, para gerir fundos e carteiras administradas, assim, a denominação da empresa passou a ser Franklin Templeton Investimentos (Brasil) Ltda.

Global

A companhia continuou realizando investimentos e aquisições estratégicas, incluindo de gestores de ativos na Austrália, no México, no Reino Unido e nos EUA, que ampliam e diversificam seus recursos. Em 2012, a aquisição do K2 Advisors, um fornecedor de fundos de hedge e produtos e soluções de investimentos alternativos integrados, combinou o conhecimento de varejo de nível mundial, os recursos de distribuição e a marca Franklin Templeton com os 20 anos de experiência em fundos de hedge da K2, o que resultou em uma entrada muito forte nos negócios de fundos mútuos de multialternativas.

Em 2013, Charlie Johnson se aposentou como presidente da empresa. Charlie dirigiu com sucesso a Franklin Templeton por mais de 50 anos de crescimento e mudanças. Ele acreditava que o sucesso é construído com muito trabalho, persistência e dedicação ao atendimento aos clientes.

Greg Johnson é, atualmente, o presidente e CEO da Franklin Templeton, que se tornou uma das maiores empresas independentes de gestão global de ativos do mundo, com escritórios em 30 países e clientes em mais de 170 países.