Brasil

Este site é exclusivo para residentes do Brasil.

Glossário

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

A

Alocação de ativos.

A alocação de ativos descreve a composição do portfólio de um fundo ou indivíduo. Para fundos de ação, isso incluiria a divisão geográfica e de mercado. Para fundos de títulos, mostrará a exposição líquida da moeda do fundo e a divisão entre governo, empresas e outros papéis de renda fixa.

Alpha.

Alpha mede a diferença entra os retornos reais de um fundo e o retorno esperado, dado seu nível de risco medido por seu Beta. Um número Alpha positivo indica que o fundo foi melhor do que o Beta tinha previsto. Um Alpha negativo indica que o fundo esteve abaixo das expectativas, estabelecidas pelo seu Beta. Alguns investidores vêem o Alpha como a medida de valor agregado ou subtraído pelo gestor do fundo.

América Latina.

Países da América Central e do Sul (inclui México, exclui Caribe).

Ações/ Ações Ordinárias.

Papéis que representam propriedade parcial, ou equity, numa empresa. Cada cota de ações é uma fatia proporcional nos ativos e lucros da empresa, alguns dos quais podendo pagar dividendos.

B

Benchmark.

Um grupo de títulos não gerenciáveis cuja performance global é usada como padrão para se medir a performance do investimento.

Beta.

Uma medida de magnitude da flutuação do preço das ações de um portfólio em relação aos altos e baixos total do mercado (ou do índice de mercado apropriado). O mercado ou índice recebe designação de um Beta = 1.00, e portanto um portfólio com Beta = 1.20 viu seu preço subir ou cai em 12% quando o mercado subiu ou caiu 10%.


C


Capitalização de Mercado.

A determinação do valor de uma empresa, calculado pela multiplicação do total de cotas de ação da companhia pelo preço da cota. Também chamado de capitalização.

Classificação equivalente.

Classificação de risco usada por uma outra agência que equivale à classificação da S&P ou da Moody's.

Coeficiente Sharpe.

Medida dos ganhos ajustados aos riscos. Para calcular o coeficiente Sharpe , os ganhos excedentes de um ativo (retorno que supera o gerado por ativos sem riscos como notas do tesouro) são divididos pelo desvio padrão dos ativos.

Crescimento das receitas.

Média anual de crescimento nas receitas durante um período de anos indicado para as ações em um fundo.


D


Data de Registro.

A data em que um acionista deve oficialmente possuir cotas para receber dividendos (ver também ex-dividendo).


Desvio Padrão.

Medida de grau de variação dos ganhos de um fundo, a partir de seus ganhos anteriores ou da média de fundos similares. Quanto maior o desvio padrão, maior a probabilidade (e risco) de que uma performance dos papéis vá flutuar dos ganhos médios.


Diversificação.

Estratégia de investir em diferentes classes de ativos e em documentos de diferentes emissores, na tentativa de diminuir o risco global do investimento.


Dividendos.

Pagamento do lucro de uma companhia, em dinheiro ou ações, para cada acionista declarado no conselho de direção da empresa.


Dollar Cost Averaging
.

Estratégia de investimento baseada em investir quantidades equivalentes em um fundo em intervalos regulares. Porque mais ações são compradas quando os preços são baixos, e menos ações quando estão altos, o custo médio de suas ações pode acabar sendo mais baixo que o preço médio do período em que foram compradas. O Dollar cost averaging não pode garantir lucro ou proteger contra perdas num mercado em declínio.


Duration
Média.

Estimativa de quanto o preço de um fundo de título flutuará em resposta a uma mudança na taxa de juros. Para ver como o preço pode mudar, multiplique a duration do fundo pela mudança nas taxas. Se os juros subirem por um ponto percentual, o preço da ação do fundo subiria 5%.


Duration
.

Uma medida da sensibilidade do título e dos fundos mútuos aos movimentos da taxa de juros. Se um título tem a duration de dois anos, seu preço cairia por volta de 2% quando a taxa de juros aumentasse em 1 ponto. Por outro lado, o preço do título subiria 2% quando os juros caíssem 1 ponto.


Débito/Capital.

Indica o percentual que a dívida ocupa no capital total; calculado dividindo-se cada dívida total do fundo subscrito pelo capital total. Uma alta relação dívida/capital indica que uma companhia está altamente alavancada.


Dívida de Soberano.

Obrigação de débito de todo governo, incluindo suas subdivisões políticas, autoridades locais, agências governamentais, empresas controladas ou patrocinadas pelo governo.


E


Equity / Ações.

Tipo de papel geralmente chamado de "ação", representando parte da propriedade de uma empresa. Geralmente, ações preferenciais e conversíveis também são consideradas equities, mas títulos de dívida não são, porque não representam propriedade.


Estado membro.

Os países que fazem parte da União Européia.


Ex-Dividendo.

Significa, literalmente, que compradores em determinado momento não terão direito aos próximos dividendos. Cotas são ex-dividendos no intervalo entre o anúncio e o pagamento do dividendo. Um fundo que já foi ex-dividendo é geralmente marcado com um "x" nas listas dos jornais.


F


G


G7.

Grupo dos 7 - França, EUA, Reino Unido, Alemanha, Japão, Itália e Canadá.


Ganho em Ativos.

Mede a lucratividade ao reportar o percentual ganho nos ativos; calculado dividindo-se 12 meses de renda líquida por ativos totais.


Ganho em Equity / Ações.

Uma quantidade, expressa em percentual, ganha no investimento de ações ordinárias de uma empresa em um tempo definido. Esse número diz aos acionistas o quão efetivo está sendo o gerenciamento de seu dinheiro


Gerenciamento passivo.

Veja indexar.


H

I

Index / Índice.

Veja benchmark.


Indexar.

Uma estratégia de investimento de baixo custo que visa igualar, e não superar, as características de risco e retorno de um indicador econômico, segurando todos os papéis que compõe o índice ou uma amostra representativa estática do índice.Também conhecido como gestão passiva.


Inflação.

Aumento genérico dos preços das mercadorias e serviços.


Índice Lehman Brothers Aggregate Bond.

Um índice de benchmark composto de títulos do governo, das agências, corporativos e hipotecários cujos papéis tenham cotação de investimento superior, com um ano de maturidade, e valor par fora-de-série de pelo menos US$100 milhão.


Índice Standard & Poor's.

Índice das 500 maiores ações capitalizadas nos EUA que é reconhecido amplamente como um guia para a saúde geral do mercado de ações americano.


J


K

L


Lucro.

Uma renda instantânea de juros ou dividendos de um fundo. O lucro, expresso como percentual dos valores líquidos dos ativos do fundo, é baseado em renda obtida nos últimos 30 dias e é anualizado para o ano seguinte.


M


MSCI World (Índice).

Um índice, ponderado pelo tamanho do mercado que aproxima a performance dos mercados mundiais de ação. Esse índice não é gerenciado e é usado como benchmark para muitos fundos, porque representa o universo de títulos os quais nossos analistas podem escolher. A Franklin Templeton Investments escolhe ações baseadas no valor e não nos pesos dos índices, e portanto a composição de nossos fundos pode ou não espelhar o índice MSCI World.


Moeda base.

A moeda em que o fundo é denominado. Fundos da Franklin Templeton Investment podem ser denominados em Reais, US$, Euros ou Yens. A moeda base não implica que todos, a maioria ou quaisquer dos papéis de um portfólio sejam denominados nessa mesma moeda. É, ao contrário, a medição usada para calcular o valor desse portfólio. Por favor, leia os Prospectos para informação específica. As transações nos fundos da Franklin Templeton Investment podem ser feitas em qualquer grande moeda independente da moeda base do fundo.


Média ponderada do Cupom.

A taxa de juros médias paga nos títulos de um fundo. É expressa como percentual do vencimento médio de seus títulos.


N

O

P

P/B.

Preço por cota de uma ação dividido por seu valor de livro(valor líquido) por cota. Para um portfólio, a proporção é a média ponderada da relação preço/livro das ações que possui.


P/E.

Um dos benchmarks usados por gestores de portfólio para ajudá-los a avaliar empresas. É calculado dividindo-se o preço da cota da empresa pelo ganho por cota.


Países de mercados emergentes.

Geralmente são considerados os países de média e baixa renda, pela definição do banco Mundial. Esse grupo consiste atualmente em mais de 100 países, e 85% da população mundial. Incluem a maior parte do sudeste da Ásia, o sub-continente indiano, toda a África e América Latina, a Europa oriental, A antiga União Soviética e partes do sul da Europa.


Portfólio.

Os papéis que compõe um fundo.


Proporção de gastos.

Percentual da média dos ativos líquidos no portfólio usado para pagar despesas anuais.


Proporção de informação.

Em terminologia de investimento, a proporção esperada entre retorno e risco. Geralmente, essa técnica estatística é usada para medir a performance de um gestor contra o benchmark. Essa medida relaciona explicitamente o grau pelo qual o investimento foi vencido ou venceu o mercado.


Prospecto.

Documento legal que dá aos investidores perspectiva sobre o investimento, incluindo discussões de seus objetivos de investimento, políticas, riscos, custos e performance passada.


Q

R


R-squared.

Medida de performance do portfólio que avalia o quanto dele pode ser explicado pelos ganhos do mercado como um todo (ou índice de benchmark). Se os ganhos finais de beta em um portfólio baterem exatamente com o do mercado geral ou do índice, seu R-squared será 1.00. Se o retorno do portfólio não tiver relação com os ganhos de mercado, seu R-squared será 0.


Razão Informacional.

Em terminologia de investimentos é a razão entre retorno esperado dividido pelo risco ativo.


Risco de mercado.

A possibilidade dos preços de uma ação ou título declinarem num período de tempo curto, ou mesmo extenso. Os mercados de títulos e ações tendem a se mover em ciclos, com períodos de alta e baixa de preço.


Risco de renda.

Possibilidade dos dividendos de um portfólio declinarem como resultado da queda na taxa de juros. O risco de renda é geralmente maior para instrumentos do mercado monetário e títulos de curto prazo.


Risco inflacionário.

A possibilidade de aumento no custo de vida vai reduzir ou eliminar os ganhos num investimento em particular.


S


SICAV.

Sigla para a estruturação legal "Société d'investissement à capital variable". Significa empresa de investimentos open-end ou fundos mútuos. Como Sicav geralmente engloba vários sub-fundos, esses fundos geralmente são chamados de "guarda-chuva".


Securities.

Ações, títulos, instrumentos do mercado monetário, e outras formas de investimento.


Serviços Públicos / Utilities.

Serviços básicos de infra-estrutura prestados por companhias geralmente públicas, como luz, água ou comunicações.


Setor.

Expressão comumente usada para descrever um mercado ou parte da economia quando se detalha a composição de um fundo. Exemplos incluem setor bancário, setor metalúrgico, setor de saúde. Os fundos de setor geralmente focam investimentos em um único segmento da economia.


T


Taxa de Juros.

A quantia paga pelo empréstimo de dinheiro.


Tolerância de Risco.

Habilidade ou vontade de um investidor de passar por fases de declínio nos preços de seus investimentos enquanto espera que eles aumentem de valor.


Top Down/Bottom Up
.

O estilo top-down de gestão de investimento coloca importância primária no país ou região de alocação, e o bottom-up concentra-se principalmente na seleção individual das ações. Gestores top-down geralmente focam em economia global e tendências políticas na seleção dos países ou regiões em que esperam encontrar oportunidades. Só então usam o método mais fundamental de análise individual das ações para chegar até a escolha final. Gestores bottom-up geralmente começam sua procura com a análise fundamental para encontrar empresas cujos preços atuais falhem em refletir seu potencial de valor a longo prazo.


Título.

Um papel relativo à dívida emitido por uma corporação, governo ou agência governamental em troca de dinheiro emprestado pelo portador do título. Na maioria dos casos, os emissores concordam em pagar de volta o empréstimo numa data específica e fazer pagamentos regulares de juros até aquela data.


Títulos de Dívida.

Um termo genérico para qualquer papel que representa dinheiro emprestado que tem que ser pago de volta numa data futura. Títulos, notas, faturas e instrumentos do mercado monetário são títulos de dívida, mas variam em suas maturidades.


U

V

Valor Líquido dos Ativos (NAV).

O preço das cotas pelo qual o título é comprado e vendido depois de deduzidas as taxas de vendas ou resgate. O NAV é calculado todo dia ao se adicionar o valor de mercado do fechamento de todos os títulos que constam no fundo, mais todos os ativos, e deduzindo as obrigações financeiras do fundo. Esta soma é então dividida pelo número total de cotas do fundo.

Vencimento/ Data de vencimento.

O dia em que o emissor do instrumento do mercado monetário ou título concorda em pagar de volta o principal, ou o valor de face, ao comprador.


Volatilidade.

O grau de flutuação presente no valor dos papéis. Volatilidade é geralmente expressa como uma medida matemática como o desvio padrão ou beta. Quanto maior a volatilidade de um fundo, maiores as variações entre seus altos e baixos.


Vencimento Médio.

A média ponderada de todos os vencimentos dos títulos na carteira, calculado pelo peso de cada data de vencimento (data do pagamento do título) pelo valor do mercado do papel.


W

X


Y


Yield to call
.

A taxa de retorno que um investidor receberia se os títulos mantidos em seu portfólio fossem seguros até sua data de CALL. Esse lucro só é válido se os papéis forem CALLED antes do vencimento.


Yield to maturity
.

A taxa de retorno que um investidor receberia se os títulos mantidos em seu portfólio fossem seguros até sua data de vencimento.


Yield to worst
.

O lucro do título computado quando se usa ou o yield to maturity ou o yield to call em cada um.

Z